21º Dia

O Pequeno Exército

“Gideão separou os trezentos em três grupos e deu a cada homem uma corneta de chifre de carneiro e um jarro com uma tocha dentro.” Juízes 7.16

  • Facebook
  • Instagram

Gideão foi um general levantando por Deus para liderar o exército de Israel na guerra contra o domínio opressor dos midianitas, mas havia alguns “poréns” nesta história.

            O exercito midianita, naqueles dias, era o mais numeroso, o mais bem armado, com o melhor preparo e ainda por cima, era o mais sanguinário e cruel.

Já Gideão nem general era, sua experiência de uma vida inteira estava na agricultura, e Israel não tinha bem um exercito, estava mais para uma cooperativa rural, composta de camponeses, agricultores, pastores de ovelhas e boiadeiros, além de serem em número muito menor do que o grande exército de Midiã, e no processo de alistamento Jeová ainda foi reduzindo o contingente até chegar no número de 300 soldados.

Muitas vezes é esta a nossa situação diante dos desafios que se nos impõem, somos minoria, limitados e sem recursos, não existe estratégia que dê conta de nossa tarefa a não ser o milagre.

            As armas usadas no combate pelo pequeno exército de Gideão foram trombetas, jarros de barro e tochas de fogo. Armas proféticas para uma batalha espiritual.

            Batalhas humanas se vencem humanamente, com armas físicas, mas não era este o caso de Gideão e nem o nosso quando precisamos de um milagre.

            Tocar trombeta significa proclamar e profetizar o milagre, quebrar o jarro significa romper com nossas forças e recursos físicos e liberar a tocha do Espirito que existe em nós, dando lugar ao milagre.