25º Dia

O Milagre e a Lei do Processo 1 – Homens como árvores.

“O homem olhou e disse: — Vejo pessoas; elas parecem árvores, mas estão andando. Marcos 8.24

  • Facebook
  • Instagram

Muitos milagres aconteceram de forma instantânea, sem nenhum processo ou ritual, mas outros foram precedidos por um rito processual, uma cadeia de eventos com a finalidade de promover o milagre.

Qual a finalidade deste processo?

            No milagre aqui apresentado vemos a ação do mestre: primeiro ele toma o cego e aplica saliva em seus olhos impondo-lhe as mãos, e o cego passa a ver então as pessoas, mas como árvores que se movem.

            Um milagre já se estabelece aqui, pois para quem vivia em escuridão total, poder ver as pessoas, ainda que como árvores, já é um grande avanço.

            Mas o que acontece com aquele cego é que seus olhos foram curados, mas sua mente não, seus olhos veem, mas não conseguem discernir homens de árvores.

            Então Jesus continua o processo e novamente impõe as mãos sobre os olhos do cego, agora curando sua percepção, pois este agora passa a discernir tudo de modo perfeito.

            Este é um milagre em dois atos, onde Jesus aplica a lei do processo, pois aquele homem precisava de uma cura não apenas em seu corpo, mas também em sua percepção.

            Jesus também manda um recado para os outros cegos, os da alma e do espírito, mostrando que não basta ver, é fundamental também discernir.